Sem Drogas – A Jornada De Um Fisiculturista Natural

“Este é um filme independente que foi criado para informar as pessoas sobre o fisiculturismo natural. O filme não descrimina ninguém e nem glorifica o desporto natural pois ele também tem as suas desvantagens. Ele conta com a participação de pessoas como Jason, Léo Araújo e Rafael Rey e mostra a preparação de um atleta até sua subida nos palcos. Como mostrado no filme eu não tenho nada contra os esteróides anabolizantes, mas escolhi ser natural e quero mostrar que você consegue ter um corpo legal sem o uso de drogas.”

Como Montar o Seu Treino – COISAS DE ATLETA

no-pain-no-gain

Um artigo de como montar um treino para poder obter os melhores resultados. Como informação de qualidade e com uma linguagem simples que faz com que qualquer pessoa, seja atleta ou que apenas tenha curiosidade possa ver como se faz e quais os passos a seguir.

Outra das vantagens deste artigo em relação aos demais é o seu autor Caio Bottura, atleta Brasileiro de Fisiculturismo Natural. Alguem dentro do desporto com uma vasta e correcta visão, para nos poder dar as melhores dicas.

Avaliação de Necessidade

Divisões de Treino

Seleção e Ordem de Exercícios

Periodização

 

para mais artigos e caso pretendam acompanhar o trabalho deste atleta

Aqui

Como criar um plano de treino -Alimentação-Suplementar-Exercicios

002044-20151030094831

Independentemente o corpo que temos, podemos ser “fortes” e querer perder peso, podemos ficar em forma, ou podemos quer ficar “grandes” com um corpo definido, há sempre factores a ter em causa para ter sucesso no objectivo a que nos propusemos. Desde um plano de treino bem elaborado a uma alimentação saudável e uma suplementação adequada a cada tipo de pessoa, são vários os factores que podem ditar o sucesso ou o fracasso de todo este processo, e em casos extremos que se abuse num destes passo pode ate trazer consequências para a saúde.

A primeira coisa a fazer é saber a condição em que nos encontramos, é bastante importante saber o índice de massa corporal (IMC) e taxa metabólica basal(TMB), deixo aqui um simulador para vos ajudar

Simulador

O plano de treino é aquilo que vai ajudar a guiar-nos durante os exercícios. Por norma ao irmos para um ginasio teremos sempre um treinador que nos ira fazer uma avaliação e um plano de treino adequado a pessoa e aos seus objectivo.

Mas ou porque nao gostamos de estar fechados ou porque o sol e o bom tempo é para aproveitar, ou ate porque o dinheiro não estica, fica aqui um plano de treino e também algumas dicas para podermos criar o nosso próprio plano.

Plano de Treino

Dicas

A alimentação é tão importante como o exercício, ate podemos correr 10000 metros se apenas comemos gorduras e não temos uma alimentação variada o exercício por si só não ira trazer os resultados pretendidos. Para a criação de uma dieta e de um plano nutricional adequado devemos consultar um Nutricionista que ira ver o que melhor se adequa a nos. Mas se não o pretenderem podem sempre tentar em casa fica aqui um plano alimentar e também algumas dicas para criação de um.

Plano Alimentar

Dicas

A suplementação como o nome indica serve para suplementar de forma a colmatar falhas no exercício e na alimentação e ajudar na recuperação. Nunca mas nunca devemos trocar a alimentação pela suplementação, isso pode trazer sérios riscos para a saúde. Temos também de ter cuidados com os produtos comprados  e também com o vendedor. Por um lado convém que os produtos sejam de qualidade pois será algo que ira interferir com o nosso organismo, por outro lado temos temos lojas/sites ou porque a pessoa que esta a vender não tem formação para tal ou porque simplesmente pretendem vender e isso ira fazer com que se gaste dinheiro desnecessário.

Actualmente utilizo o site Prozis por causa da variedade, dos preços e do acompanhamento prestado por uma serie de profissionais.

Não quer dizer com isto que não existam outros sites/lojas de confiança mas da experiência que tenho e também de experiências trocadas com outras pessoas será um dos melhores sem duvidas, como se pode ver também pelo material desenvolvido por eles.

Caso tenha duvidas não corra riscos consulte um especialista

ps: queria agradecer Prozis por ter autorizado a utilização do seu material/artigos neste artigos.

Fonte: Prozis , ProzisGetFit

Tudo sobre diabetes

diabetes

A Diabetes

Que tipos de diabetes existem?

– Diabetes Tipo 1
– Diabetes Tipo 2
– Diabetes Gestacional
– Outros tipos de Diabetes

Existem outros tipos de diabetes além do Tipo 1, Tipo 2 e Gestacional, mas esses ocorrem com muito menor frequência. São eles:

– Diabetes Tipo LADA (Latent Autoimmune Diabetes in Adults):  costuma ser confundido com a diabetes do tipo 2. A maior incidência concentra-se em pacientes entre 35 e 60 anos. A manutenção do controle de glicemia é o principal objetivo do tratamento do portador de diabetes tipo LADA. Um aspecto que deve ser levado em conta, refere-se à progressão para a necessidade de terapia com insulina.

– Diabetes tipo MODY (Maturity-Onset Diabetes of the Young) que afecta adultos jovens mas também adolescentes e crianças. Apresentam-se com características de diabetes tipo 2 e são causadas por uma mutação genética que leva a uma alteração da  tolerância à glucose.

– Diabetes Secundário ao Aumento de Função das Glândulas Endócrinas (Ex: doença de Cushing, acromegalia ou gigantismo, feocromocitoma, glucagenoma)

– Diabetes Secundário a Doenças Pancreáticas (Exemplos: pancreatite crónica, Destruição pancreática por depósito de ferro denominado hemocromatose)

– Resistência Congênita ou Adquirida à Insulina

– Diabetes Associado a Poliendocrinopatias Auto-Imunes

– Diabetes Relacionados à Anormalidade da Insulina (Insulinopatias)

Fatores de risco

A Diabetes não tem cura. No entanto, é perfeitamente possível que leve uma vida completamente normal. Um bom controlo metabólico é conseguido através de estilos de vida saudáveis, nomeadamente alimentação e exercício, e acompanhamento por profissionais de saúde credenciados na área da Diabetes.

Alguns fatores de risco são possíveis de controlar, designados como fatores de risco modificáveis; outros, não podemos controlar, designados como fatores de risco não modificáveis.

Fatores de risco

O que é a Pré Diabetes ou Hiperglicemia Intermédia

É o termo usado para identificar as pessoas que possuem risco elevado de desenvolver diabetes. É uma forma ou um estado intermediário entre a normalidade e a diabetes do tipo 2 no adulto. No entanto, sabe-se que nem todos irão deixar a condição de pré-diabético para se tornar um diabético. A melhor maneira de identificar a pré-diabetes é através da doseamento da glicemia. Sua definição laboratorial dá-se quando a glicemia de jejum (mínimo de oito horas) encontra-se entre 100 e 125 mg/dl (Anomalia da glicémia em jejum) e/ou quando o valor de glicemia na segunda hora do teste de sobrecarga oral à glicose (administrada glicose com água) está entre 140 e 199 mg/dl (Tolerância diminuída à glicose).

Valores de glicemiaConcentração de glicemia no indivíduo

clique sobre as imagens para saber mais sobre os valores de referência

A figura do lado direito demonstra os níveis de açúcar no sangue: 1º num indivíduo saudável, onde  a quantidade de glicose (açúcar) é normal; 2º um estado de hiperglicemia intermédia onde a glicemia é superior ao normal e 3º no diabético onde a  glicemia é excessiva.

É importante que periodicamente controle os seus valores de glicemia, o que lhe vai permitir avaliar se os cuidados que tem são eficazes e suficientes para manter a Diabetes à distância.

Fonte: APDP

Que bicicleta comprar?

adelineadeline

 

Medidas básicas que devem ser verificadas na escolha da bicicleta:

Seat Tube = Tubo de selim do quadro da bicicleta. É o que define o tamanho da bicicleta.
Nas Bicicletas de Montanha essa medida é apresentada em polegadas: 17″, 18″, 19″ etc
Nas Speed, Híbridas e de estrada a medida é em centímetros: 50, 52, 54 cm etc
Veja na tabela abaixo o tamanho de bicicleta adequado para a sua altura.

Top Tube Horizontal = Tubo superior do quadro da bicicleta. Define o comprimento da bicicleta.
Essa medida também é usada para definir o tamanho da bicicleta para o ciclista, e deve ser tomada em linha reta, paralela ao chão. Vai desde o centro do tubo frontal até o centro do veio de selim da bicicleta.
Alguns fabricantes de bicicletas apresentam os seus modelos com ligeira diferença no comprimento do top tube horizontal. Para ciclistas com o tronco mais longo, recomenda-se os modelos com top tube horizontal mais longo e para ciclistas com o tronco mais curto, um top tube mais curto. Por isso é fundamental que se experimente modelos e marcas diferentes antes da compra pois bicicletas com mesmo tamanho nominal podem apresentar diferenças em suas geometrias. Na dúvida, consulte um profissional e faça um bike fit antes da compra pois para cada tipo físico e dependendo do uso que se pretende fazer da bicicleta existem medidas e ajustes diferentes.

  • Top Tube mais curto: ideal para plano, uso urbano e iniciantes; serve para manter o ciclista numa posição de condução mais em pé, o que facilita olhar o trânsito. O ciclista fica mais exposto ao vento, o que torna a bicicleta mais lenta. Ciclista em posição mais em pé tem maior dificuldade em realizar subidas. O pescoço é menos exigido. A lombar passa a ser o amortecedor do ciclista.
  • Top Tube mais longo: ideal para desportistas e profissionais: visa retirar o máximo do funcionamento muscular do corpo do ciclista. Facilita arranques, subidas e mudanças bruscas de direcção, permitindo uma condução agressiva. Como o corpo do ciclista fica mais deitado, há menos arrasto aerodinâmico, facilitando a manutenção de altas velocidades.

 

  • Na hora da compra é fundamental a escolha da bicicleta que corresponda ao tamanho do ciclistaTabela básica – altura do ciclista x tamanho da bicicleta

primeira-bike3

Urbana 

Normalmente fabricadas com rodas aro 700, que são mais confortáveis que as de aro 26. A geometria é voltada para o conforto e estabilidade, normalmente mantendo uma posição do ciclista mais em pé, o que diminui a facilidade de manter alta velocidade e subir

Urbana feminina 

Bicicleta urbana com desenho de quadro específico para as mulheres.
Alguns modelos são também são montados com rodas 26 .

Urbana simples 

Uma tendência actual
Bicicleta simples, sem mudanças(single speed), quadro de aço e rodas 700
Leves e rápidas para uso na cidade
Existem também as versões femininas.

 

Dobráveis
Bicicleta para uso na cidade. Confortáveis e ágeis no uso urbano. São leves e práticas e quando dobradas são fáceis de carregar. Geralmente são vendidas com a bolsa de transporte.

 

Bicicleta de Montanha com suspensão dianteira
Fabricadas para uso na terra, podem ser pedaladas em qualquer terreno e em qualquer condição. Normalmente são montadas com rodagem 26 polegadas, mas actualmente existem modelos com rodagem 29″. Existem também com rodagem 24″ para os adolescentes. O mercado oferece desde os modelos mais simples, nível amador, até modelos muito sofisticados, para o nível profissional.

Bicicleta de Montanha com suspensão dianteira e traseira
Existem vários modelos de Mountain Bikes full system. Fabricadas para o uso em terra, vão desde as desenvolvidas para maratonas (mais leves) às de utilização extrema (mais pesadas). Actualmente existem as versões 26″ e as 29″. Quanto ao mercado, segue o mesmo critério da descrição acima.

 

bicicleta de corrida, bicicleta de estrada
Aro 700. Bicicletas específicas para uso em asfalto, de preferência em estrada. As rodas são leves, com pneus finos e com pressão muito alta. Tem pouca aderência ao solo, o que requer técnica e prática. Aceleram rápido, mantêm com certa facilidade velocidades altas. Não recomendável para ciclistas iniciantes, uso urbano ou piso escorregadio.
Existem as versões especialmente desenvolvidas para as mulheres

 

BMX 

Tipo de bicicleta especialmente desenhada para a prática do BMX.
É o melhor início que uma criança pode ter no ciclismo. É exactamente como o kart para o automobilismo.

 

Bicicleta infantil
Aro 20″, 10″ (foto) ou menor. A questão da qualidade aqui passa por fazer uma criança feliz. Quando comprar pense na criança, não na sua carteira. Compre qualidade. O que interessa é que a criança tenha facilidade na condução da bicicleta. Um óptimo teste é a criança ser capaz de accionar com facilidade os travões e se eles travão de fato. Na foto, modelo especial sem pedais. Ideal para o início da criança com a bicicleta.

Fonte: escoladebicicleta.com.br

 

Prevenir um AVC

avc3

Se você ou alguém de quem cuida sofreu um AVC, irá querer saber mais acerca do AVC e dos seus efeitos. Esta secção explica o que é um AVC, o que o causa, e alguns dos efeitos físicos e emocionais que poderão repercutir-se na vida das pessoas.

Ataque Cerebral
Tipos de AVC
Sintomas Comuns
Acidente Isquémico Transitório
O AVC pode acontecer a qualquer pessoa
Lesões no Cérebro
Problemas comuns

AVC

como poderá reduzir o risco do Acidente Vascular Cerebral para si ou para alguém de quem cuida.

Algumas pessoas têm um risco maior do que outras. Alguns factores poderão não ser mudados – os genes ou a sua idade. Contudo, mudanças simples de estilo de vida poderão prevenir o AVC. Se já sofreu um AVC, estas mudanças poderão, efectivamente, ajudar a prevenir a repetição.

Porque é que um AVC acontece
Tabagismo
Beber álcool
Alimentação Saudável
Exercício
Passos para reduzir o risco
O que não pode mudar
Impedir que o AVC se repita

Um AVC pode ser uma experiência assustadora, tanto para a pessoa como para a família. Se está a ser difícil lidar com toda esta experiência, esta secção faz um esboço do que poderá esperar nas primeiras horas, dias e semanas, após o AVC.

Um AVC envolve muito tratamento médico no imediato e, às vezes, meses e anos de recuperação contínua. As seguintes ligações providenciam informação para o ajudar a compreender o que lhe aconteceu e porquê, como o plano de tratamento está estruturado de acordo com as necessidades individuais e outros passos práticos necessários para a melhor recuperação possível.

Um AVC é uma lesão cerebral
Testes hospitalares
Teste de deglutição
Testes ao coração e artérias sanguineas
Reabilitação
Do hospital para casa

Fonte: associacaoavc

A IMPORTÂNCIA DOS ALONGAMENTOS

full_body_stretch_with_calf_stretch_image_title_4kzij_445x3351-300x225

Os alongamentos devem ser feitos antes e após a prática de exercício, mas antes devem ser realizados de forma dinâmica, de modo a preparar as fibras musculares para o exercício, aumentar a amplitude do movimento e aquecimento.

Antes de treinar, recomendo uma pré-ativação muscular que implica um aquecimento progressivo que é, ao mesmo tempo, um alongamento dinâmico. Não alongar terá relação direta, oposta, com todos os aspetos referidos na caixa benefícios.

Contudo, segundo vários estudos e investigações internacionais, o alongamento excessivo, ao ponto de profunda dor, pode ser inadequado e destruir as fibras. Outros estudos demonstram que as rotinas de alongamento e flexibilidade diminuem a viscosidade músculo-tendinosa. Em desportos com poucos ciclos de alongamento (corrida, ciclismo), estes podem degradar a atividade física e não têm efeitos na redução de lesões. Posto isto, alongue sim, mas com moderação.

Como alongar

Estas são as forma de o fazer mais recomendadas:

– Em pé

Segure um dos pés contra o glúteo, alongando o quadricípite (parte anterior da coxa). Troque a cada 30 segundos. Com as pernas esticadas, leve o tronco à frente e tente tocar com as mãos no chão, alongando a parte posterior das coxas e pernas. Gire a cabeça para um lado e para o outro, para cima e para baixo.

– Sentado

Com as pernas afastadas, leve o tronco à frente, tente manter a coluna reta e os braços estendidos, alongando a coluna e os músculos adutores (parte interna das coxas).

Os benefícios dos alongamentos

– Redução de tensões musculares e relaxamento
– Melhoria da coordenação, contribuindo para movimentos mais soltos e fáceis
– Aumento do arco de amplitude muscular
– Prevenção de lesões
– Desenvolvimento da consciência corporal
– Ativação da circulação

fonte: lifestyle.sapo.pt

Cálculo do Índice de Massa Corporal (Peso Ideal)

Peso-ideal

Calcular peso ideal através do Índice de Massa Corporal (IMC), é uma das formas para se obter um indicativo de que você está acima do peso ideal ou abaixo do peso ideal de forma simples e rápida.

Como-calcular-o-IMC

Abaixo do peso Abaixo de 18.4
Peso normal 18.5 – 24.9
Sobrepeso 25.0 – 29.9
Obesidade Grau I 30.0 – 34.9
Obesidade Grau II 35.0 – 39.9
Obesidade Grau III Acima de 40

mas para ser mais facil fica aqui um simulador

Aqui

Como montar uma dieta para perder peso

Como-montar-uma-dieta-para-perder-peso1

Perder peso é um objetivo transversal a diferentes faixas etárias e géneros. A determinada altura da vida, é comum deparar-se com a necessidade de perder aqueles quilos extra que já incomodam. Nesta altura, por vezes o mais difícil é encontrar informação credível e simples que explique quais os passos a seguir a nível da alimentação para emagrecer.

Convém desde já desmistificar a ideia de que estar em dieta para perder peso equivale a comer saladas o dia todo. Não podia haver afirmação mais descabida. Você irá (ou poderá) na mesma comer carne, peixe, frutos secos e fruta. Apenas terá de dosear melhor as porções e distribuir bem os macronutrientes ao longo do dia.

Convém também salientar que a fórmula que vamos apresentar neste artigo não é “a” fórmula. Não existe um modelo universal que funciona igualmente com todas as pessoas. Aliás, quando o assunto é nutrição, existem muito poucas verdades absolutas.

Serve o presente artigo para transmitir as ideias base sobre como elaborar um plano alimentar com o objetivo da perda de peso.

1º passo – Estabelecer a quantidade de calorias diárias necessárias

2º passo – Definir as proporções dos macronutrientes

Quantidade e fontes de proteínas a incluir na dieta

Quantidade e fontes de hidratos de carbono a incluir na dieta

Modelos alternativos

Quantidade e fontes de gorduras a incluir na dieta

Artigo Completo

Fonte: prozis.com