Sarampo – Tudo o que devemos saber!!

1. O que é o sarampo?
  • O sarampo é uma infeção provocada por um vírus. É uma das infeções mais contagiosas e transmite-se de pessoa-a-pessoa, por via aérea, através de gotículas ou aerossóis de pessoas infetadas (por exemplo, tosse ou espirro).
  • Habitualmente a doença é benigna mas, em alguns casos, pode ser grave ou levar à morte.
  • Pode complementar a informação em Sarampo (página da Direção-Geral da Saúde).

 

2. Como posso prevenir o sarampo?
  • A vacinação é a principal medida de prevenção. É gratuita e está disponível para todas as pessoas presentes em Portugal.
  • As pessoas não vacinadas e que nunca tiveram sarampo têm uma elevada probabilidade de contrair a doença se forem expostas ao vírus.
  • Em caso de contacto com um caso de sarampo, contacte de imediato o Centro de Contacto do SNS / Linha Saúde 24 (808 24 24 24) ou consulte o seu médico assistente/equipa de saúde.

 

3. Quais são os sinais e sintomas do sarampo?
  • Início com febre e mal-estar, seguido de rinite/rinorreia (corrimento nasal), conjuntivite e tosse.
  • De seguida e nalgumas situações podem surgir uns pontos brancos no interior da bochecha, cerca de 1-2 dias antes do aparecimento da erupção cutânea.
  • Aparecimento da erupção cutânea (“manchas” que se iniciam na face e que depois se espalham para o tronco e para os membros), febre alta e prostração.
  • Se estes sinais/sintomas surgirem, contacte o Centro de Contacto do SNS / Linha Saúde 24 (808 24 24 24) ou consulte o seu médico assistente/serviço de saúde.

 

4. Qual o período de contágio?
  • O contágio pode ocorrer desde 4 dias antes e até 4 dias após o início da erupção cutânea.
  • O período de contágio pode ser mais prolongado nos doentes imunocomprometidos.

5. Se eu tiver sintomatologia compatível com sarampo, o que acontece?
  • Vai ser aconselhado a restringir os contactos sociais para evitar o contágio de outras pessoas, até 4 dias após o início da erupção cutânea.
  • Vão ser-lhe colhidos produtos biológicos (sangue, urina e fluidos orais) que serão enviados para o Instituto Ricardo Jorge (Lisboa) para confirmação ou não do diagnóstico de sarampo.
  • Os profissionais de saúde vão precisar de saber as pessoas com quem contactou (durante o período de contágio) para as proteger (irá ser verificado o estado vacinal dos contactos). Em função do estado vacinal, serão vacinadas ou administrada a imunoglobulina, se indicado.

 

6. Se tiver confirmação de sarampo, qual o tratamento?
  • A maioria das pessoas recupera com a ingestão de líquidos e medicamentos para baixar a febre.
  • Os antibióticos não são eficazes contra o vírus do sarampo, mas são frequentemente utilizados para tratar as complicações, como pneumonia e otite, se ocorrerem.

 

7. Qual o esquema de vacinação recomendado em Portugal?
População-alvo/Idade Número de dose de VASPR recomendado
<18 anos 2 doses

Esquema recomendado: 12 meses e 5 anos de idade

Adultos

(≥18 anos)

nascidos ≥1970 1 dose
nascidos <1970 0 doses*
Profissionais de saúde 2 doses (independentemente do ano de nascimento)

 

 

 

 

 

* De acordo com o Inquérito Serológico Nacional 2001/2002 cerca de 97% da população nascida antes de 1970 tem proteção contra o sarampo.

8. Nasci antes de 1970 e não tenho a certeza de ter tido sarampo. Devo ser vacinado(a)?
  • Não é necessária a vacinação dos nascidos antes de 1970, exceto se houver exposição a casos de sarampo ou se for viajar para áreas onde existam casos de sarampo. Neste caso deve ser administrada 1 dose de vacina VASPR.
  • Todos os profissionais de saúde sem história credível de sarampo deverão ter 2 doses de vacina contra o sarampo (VAS/VASPR), independentemente do ano de nascimento.

9. Nasci depois de 1970 e não sei se fiz a vacina do sarampo. Devo ser vacinado(a)?
  • As pessoas nascidas depois de 1970, de idade igual ou superior a 18 anos, sem história credível de sarampo, devem ter, pelo menos,1 dose de vacina contra o sarampo (VAS/VASPR), independentemente da idade em que a vacina foi administrada.
  • Todas as pessoas com menos de 18 anos de idade deverão ter 2 doses de vacina contra o sarampo (VASPR).
  • Todos os profissionais de saúde sem história credível de sarampo deverão ter 2 doses de vacina contra o sarampo (VAS/VASPR), independentemente do ano de nascimento.
  • Em caso de dúvida, contacte os enfermeiros no seu Centro de Saúde.

 

10. Devo vacinar o meu filho contra o sarampo antes da idade recomendada?
  • Não há indicação para alteração do esquema vacinal recomendado para a vacina VASPR aos 12 meses e aos 5 anos de idade, na atual situação epidemiológica.
  • Em situação de contacto com casos de sarampo ou de viagem para áreas onde existam casos de sarampo, está recomendada a administração de 1 dose de vacina VASPR entre os 6 e os 12 meses de idade ou a antecipação da 2ª dose, após avaliação clínica.
  • A dose de vacina administrada antes dos 12 meses de idade é considerada “dose zero” (pode não ter a eficácia desejada) pelo que, de acordo com o esquema recomendado, deve ser administrada 1 dose aos 12 meses (VASPR1) e outra aos 5 anos (VASPR2).

 

11. Tenho menos de 18 anos e 1 dose de vacina VASPR, estou protegido(a)?
  • Cerca de 5 a 10% das pessoas vacinadas não respondem adequadamente à 1ª dose, motivo porque se recomenda uma 2ª dose da vacina até aos 18 anos de idade.
  • Esta 2ª dose não é um reforço mas mais uma oportunidade de desenvolver imunidade/proteção contra a doença e assim de diminuir o número de pessoas suscetíveis (pessoas não vacinadas ou vacinadas incorretamente ou sem história credível de sarampo).

 

12. Que devo fazer se tiver uma vacina em atraso?
  • Se por qualquer motivo houver atraso numa vacina, dirija-se ao seu centro de saúde para lhe ser administrada a vacina em falta, mesmo que já tenham sido ultrapassadas as idades ou datas recomendadas.
  • Deverá sempre levar consigo o Boletim Individual de Saúde (Boletim de vacinas), de modo a ser registada a vacina.

 

13. As crianças com menos de 6 meses podem ser vacinadas com a vacina VASPR?
  • A vacina não é recomendada antes dos 6 meses de idade. A idade mínima para administração da vacina VASPR é de 6 meses.

 

14. Após a vacina contra o sarampo (VASPR) quando começo a estar protegido?
  • Começa a estar protegido cerca de duas semanas após a administração da vacina VASPR.

 

15. Posso fazer análises para saber se já tive sarampo?
  • Não se recomenda, exceto em circunstâncias especiais. A decisão compete ao seu médico assistente.

 

16. Não encontro o meu boletim de vacinas e não sei se fui vacinado ou se tive a doença. O que faço?
  • Na dúvida deve recorrer ao seu centro de saúde.
  • Se não for possível confirmar o seu estado vacinal, ser-lhe-ão administradas as vacinas de acordo com a sua idade, não havendo contraindicação ou aumento dos efeitos adversos se lhe forem administradas novas doses mesmo já tendo sido vacinado ou tido a doença.

 

17. Não sei do meu Boletim Individual de Saúde (Boletim de vacinas). Como posso obter uma 2ª via?
  • A emissão de uma 2ª via do Boletim Individual de Saúde deve ser solicitada no centro de saúde onde foi vacinado, uma vez que é nessa unidade de saúde que está arquivado o seu histórico vacinal.

18. Sou profissional de saúde e não fiz vacina nem sei se tive sarampo. O que faço?
  • Todos os profissionais de saúde sem história credível de sarampo, independentemente da idade, devem estar vacinados com 2 doses (VAS/VASPR) com mínimo de 4 semanas entre as doses.
  • Deve contactar o serviço de saúde ocupacional e/ou o seu centro de saúde para lhe ser administrada a vacina.

 

19. Em Portugal poderá ocorrer uma grande epidemia de sarampo?
  • Não há razões para temer uma grande epidemia de sarampo, uma vez que a larga maioria das pessoas está protegida.
  • A maioria das pessoas nascidas antes de 1970 está protegida por ter tido a doença.
  • A maioria das pessoas nascidas depois de 1970 está protegida por ter sido vacinada.
  • No entanto, durante um surto, algumas pessoas vacinadas poderão contrair a doença, por diminuição, ao longo do tempo, da proteção conferida pela vacina.
  • O sarampo em pessoas já vacinadas é mais ligeiro, a probabilidade de haver complica

Fonte: SNS

Construir um POWER RACK

hoje trazemos um artigo de como construir um POWER RACK em casa, ficando bem mais barato, em relação a compra de um.

Sendo o ideal para poder realizar vários exercícios e treinar varias partes do corpo

A pagina esta em ingles, mas é apenas traduzir a pagina

Artigo completo

Prozis Neo Smart Scale – Analise

Na minha demanda pela perda de peso achei importante fazer um acompanhamento do meu peso mais personalizado e para isso decidi adquirir uma balança de diagnóstico.

Após alguma pesquisa encontrei a Prozis Neo Smart Scale, fiquei algo apreensivo pois iria comprar algo que nao conseguia ver presencialmente e tem um valor algo elevado para uma balança, embora seja das mais baratas com estas características, mas decidi arriscar.

Passado dois dias tinha a balança comigo, e fiquei surpreendido logo ao ver a caixa, negro mate com o nome em relevo brilhante o que dá um look premium e enche a vista que é algo sempre agradável. Ao abrirmos a caixa deparamos-nos com a balança em acomodada entre duas placas de esponja, onde também vem o manuel e as 4 pilhas AAA.

 

A balança é um equipamento bastante bonito, branco em vidro temperado com o logo da marca em vermelho, e um visor led também em vermelho, um equipamento no seu todo que apresenta uma boa construção e dá uma sensação de estar bem construída e valor o valor dado por ela 44,99 (na data do artigo).

Após a colocar numa superfície plana, abri o manual e comecei a seguir as indicações apresentadas, instalei a aplicação ProzisGO, iniciei a sessão, indiquei os meus dados e os meus objectivos, mandou-me subir na balança e logo me indicou os dados pretendidos, dados esses que apenas são apresentados no smartphone,na balança é apenas apresentado o peso

A aplicação é também bastante interessante, estando ainda numa versão beta mas apresentando um grande potencial para crescer, estando disponível para Android e IOS

-preço

-conectividade

-configuração

-qualidade de construcao

-apenas apresenta peso na balança

-dependência do smartphone para obter informação completa

Bandas Elásticas – Qual Escolher?

Muitas vezes pensamos em ter algum equipamento em casa para poder-mos fazer exercício, e a ideia que nos vem a cabeça são alteres, pesos, eliticas ou ate maquinas multi-funções, mas ai percebemos que ou são caras ou ocupam muito espaço, e para resolver este dilema existem as bandas elásticas que dependendo do seu peso podem ser usadas para realizar vários exercícios.

 

As Bandas preta e vermelha são indicadas para auxilio de movimentos como pull-ups, dips ou até muscle-ups, treino de velocidade e mobilidade.

As Bandas Roxa e Verde são adequadas para atletas geralmente mais experientes, usadas em movimentos de Halterofilismo: agachamento ou peso morto. Podem ser um excelente equipamento de mobilidade.

A Banda de Resistência azul é usada para obter a máxima resistência com agachamento, peso morto e press de ombros. Estes são recomendados para atletas experientes e de alto rendimento.

Cada cor significa uma diferente resistência/carga:

9 kg – Vermelha;

15 kg – Preta;

25 kg – Roxa;

38 kg – Verde;

45 kg – Azul;

*Podem usar como referencia caso a loja onde comprarem não utilize as cores padrão

PLANO de TREINO FUNCIONAL EM CASA

Uma serie de vídeos para podermos treinar em casa, serve para aqueles dias em que não existe possibilidade de ir ao Ginásio.

Feito por um grande profissional, com um vasto conhecimento sobre o assunto para poder explicar da melhor forma como melhorar a nossa forma física sem sair de casa.

Exercício físico no inverno

O exercício fisco mesmo no inverno faz bem, ajuda a manter a boa forma física, ajuda a prevenir doenças tipicas da época, ajuda a melhorar a disposição durante o dia e a regular o sono durante a noite.

Mas mesmo com tantas vantagens há sempre cuidados a ter não só de saudê para evitar problemas de saudê como também para a nossa segurança.

A nível de saudê deveremos sempre fazer um aquecimento bem pensado, aquecer o máximo de músculos e partes do corpo possível para evitar lesões, usar ropa adequada para a época, especialmente se fora para fazer no exterior.

Na segurança, caso seja para praticar no exterior não nos podemos esquecer que anoitece muito mais cedo e que deveremos sempre utilizar material refletor como também iluminação adequada para tal.

 

 

Brain games – PodCast

“A parte científica de tudo que envolve o fitness e a musculação.”

Um podcast com vários convidados convidados onde se debate os mais variados temas sobre o ftness e a musculação, com muita informação e muito conhecimento para podermos aprender um pouco mais.

PodCast

Sem Drogas – A Jornada De Um Fisiculturista Natural

“Este é um filme independente que foi criado para informar as pessoas sobre o fisiculturismo natural. O filme não descrimina ninguém e nem glorifica o desporto natural pois ele também tem as suas desvantagens. Ele conta com a participação de pessoas como Jason, Léo Araújo e Rafael Rey e mostra a preparação de um atleta até sua subida nos palcos. Como mostrado no filme eu não tenho nada contra os esteróides anabolizantes, mas escolhi ser natural e quero mostrar que você consegue ter um corpo legal sem o uso de drogas.”